Twitter
Youtube
facebook
LinkedIn
Google +

 

21/11/2017 17:00

Grupo de Conjuntura aponta que PIB do setor agropecuário deve fechar o ano em 10,8%


Para 2018, previsão é de queda de 1,7% em relação a 2017, segundo estudo lançado nesta terça-feira (21.11)

O Produto Interno Bruto (PIB) do setor agropecuário brasileiro deve fechar o ano com um crescimento de 10,8%. É o que prevê a seção de economia agrícola da Carta de Conjuntura nº 37, lançada nesta terça-feira (21), durante seminário no Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), em Brasília. Para 2018, mesmo com uma estimativa de queda de 1,7%, as conclusões do estudo indicam um cenário otimista em quase todos os segmentos agrícolas.

O estudo – que traz uma análise completa de preços, produção, emprego, comércio exterior, seguro e crédito do setor agropecuário – foi produzido em conjunto pelo Ipea com a Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, da Pecuária e do Abastecimento (SPA/Mapa) e o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo (Esalq-USP).

“Após um ano de 2017 com crescimento expressivo, a queda prevista para a safra de grãos deve resultar em redução do PIB do setor agropecuário em 2018”, explicou José Ronaldo de Castro Souza Jr., diretor de Estudos e Políticas Macroeconômicas do Ipea.

Os dados da pesquisa mostram que o aumento das exportações foi de 12,4% na comparação com 2016 e de 22% em relação a 2015. O aumento em relação ao ano passado ficou concentrado em soja (23,3%) e pimenta (89,6%). “O grande produto que fez crescer as exportações foi a soja, sem dúvida”, concluiu José Ronaldo.

Nicole Rennó Castro, do Cepea-USP, destacou que o PIB do setor de agronegócios deve crescer 5,8% neste ano. A pesquisadora falou ainda sobre a recuperação dos empregos na agricultura, que obteve um aumento de 1,3% no segundo trimestre de 2017, comparado ao primeiro trimestre do ano. O aumento ocorreu principalmente na agroindústria, com alta de 4,6%. Na comparação com o ano passado, no entanto, o número de ocupações continua em queda. A redução foi de 2,3%, comparando-se o segundo trimestre de 2017 com o mesmo período de 2016.

“Estamos numa trajetória de crescimento extraordinário, sinal que o setor contribui muito para a geração de empregos. O mercado de máquinas agrícolas também demostra bem esse aquecimento na economia”, comentou José Eustáquio Vieira Filho, técnico de planejamento e pesquisa da Diretoria de Estudos e Políticas Regionais, Urbanas e Ambientais (Dirur/Ipea).

Segundo Rogério Edivaldo Freitas, da Dirur/Ipea, houve um crescimento de todos os segmentos de máquinas agrícolas. “Na comparação estrita com os dados de 2016, é salutar o crescimento da produção de tratores”, pontuou.

João Cláudio Souza, da SPA/Mapa, expôs os financiamentos, investimentos e mudanças normativas que devem estimular ainda mais o setor agropecuário. “A Letra de Crédito do Agronegócio (LCA), nova fonte de recursos do crédito rural, está se demonstrando bastante vantajosa e exitosa, com taxas de juros baixas, equivalentes ao crédito rural controlado. E vem do mercado, não precisa da intervenção estatal na equalização da taxa de juros para suportar esse crédito para o produtor rural”, observou.

Conforme a nova seção de economia agrícola, a poupança rural controlada apresentou um acréscimo de 78,1%, contabilizando financiamentos na ordem de R$ 18 bilhões. Os Fundos Constitucionais de Financiamento Regional - FNO (Região Norte), FNE (Região Nordeste) e FCO (Região Centro-Oeste) - cresceram 107,7%, desembolsando R$ 3,9 bilhões. Quanto aos investimentos, no agregado, totalizaram R$ 9,83 bilhões no período de julho a outubro de 2017, aplicação 39,7% superior à do mesmo período em 2016.

De acordo com Diego Almeida, também da SPA/Mapa, há algumas ações do Ministério da Agricultura em andamento para ampliar as melhorias no setor, como consultorias consultivas e parcerias de pesquisas. Quanto aos instrumentos para aumentar a transparência, citou o lançamento do site do Atlas do Seguro Rural e a disponibilização na internet da lista de beneficiários.

Vídeo: Confira a entrevista com o diretor José Ronaldo de Castro Souza Jr.

Acesse a seção completa no blog da Carta de Conjuntura ou no Portal Ipea

 

 

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea