Twitter
Youtube
facebook
Google +
Google +

 

15/02/2018 17:30

Boletim Radar discute os desafios das empresas de pequeno porte


Os artigos trazem análises a partir de dados, indicadores e conceitos presentes no livro 'Um Pirilampo no Porão'

Em edição especial do boletim Radar: tecnologia, produção e comércio exterior, pesquisadores discutem, no decorrer de seis artigos, os desafios das pequenas empresas e da informalidade a partir de indicadores e conceitos presentes no livro Um Pirilampo no Porão – um pouco de luz nos dilemas da produtividade das pequenas empresas e da informalidade no Brasil. Produzido pela Diretoria de Estudos e Políticas Setoriais de Inovação e Infraestrutura (Diset), o boletim Radar n° 55 já está disponível no Portal Ipea.

Larissa Pereira e Mauro Oddo, no artigo introdutório As Empresas de Pequeno Porte no Brasil: os dilemas da produtividade e da informalidade, associam a baixa produtividade média da economia brasileira à heterogeneidade produtiva, bem como a produtividade relativa em países da América Latina e da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) à participação da economia informal no Produto Interno Bruto (PIB).

No segundo artigo, Para Onde Foi Todo o Desenvolvimento?, Sandro Sacchet apresenta as premissas das teorias de desenvolvimento sugeridas para os países periféricos, desde a teoria estruturalista dos anos 1940/1950, até o ciclo desenvolvimentista dos governos do Partido dos Trabalhadores (PT). O autor frisa que todas fracassaram em construir uma sociedade efetivamente justa.

Em Políticas e Iniciativas de Apoio às Micro e Pequenas Empresas: potenciais efeitos sobre a formalização e o emprego, Aretha Zarlenga e Giovanni Beviláqua focam no regime tributário do Simples e na Lei do Microempreendedor Individual para analisar os possíveis impactos na formalização e geração de emprego.

Já no artigo Micro, Pequenas e Médias Empresas: conceitos e estatísticas, os autores Andréa Guimarães, Kátia de Carvalho e Luiz Andrés Paixão tratam dos diferentes critérios para classificação das empresas em segmentos, segundo seu porte. E para contribuir com o debate conceitual sobre as MPEs no Brasil, eles apresentam algumas estatísticas obtidas a partir das pesquisas estruturais por empresas.

O texto Informalidade: "o que é e o que não pode ser que não é", de Sandro Silva, apresenta uma análise das implicações do processo de construção social da informalidade e da semiformalidade, o que gera "desigualdade social resultante de uma heterogeneidade econômica que é fruto da inserção subordinada do Brasil nas cadeias globais de produção".

Por fim, em A Inovação e as MPEs: uma breve análise do período recente, Pedro Miranda e Priscila Koeller atualizam as análises do livro Um Pirilampo no Porão a partir dos dados mais recentes da Pesquisa de Inovação (Pintec), de 2014. Os autores constatam que, durante o período, houve um avanço no desempenho das firmas de médio porte.

Leia na íntegra o boletim Radar: tecnologia, produção e comércio exterior nº 55

 

 

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea