Facebook Twitter LinkedIn Youtube Flickr
18/02/2019 15:41

Antônio Gois: Falta sintonia no ensino técnico

A expansão do ensino técnico está no radar das políticas públicas. Já constava do Plano Nacional de Educação, aprovado pelo Congresso Nacional em 2014, durante o governo Dilma. Nele há a meta ambiciosa de triplicar até 2024 o atual número de matrículas (1,7 milhão) da modalidade. A reforma do ensino médio, aprovada na gestão Temer, e as promessas de campanha de Bolsonaro

também sinalizam para o crescimento do setor. O movimento é mesmo necessário, considerando que o Brasil tem, em comparação com países ricos, uma proporção ainda baixa da força de trabalho com esse tipo de formação. Porém, se essa expansão não for feita com critério e qualidade, há o risco de agravar ainda mais ineficiências já existentes.

Leia mais >>

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea